Vacina da gripe protege pacientes asmáticos contra novas internações

Com o início das campanhas de vacinação contra a gripe (influenza) no mês de abril, muitos pacientes que convivem com doenças do sistema respiratório, como a asma, se questionam se devem ou não receber o imunizante. A falta de conhecimento sobre a interação entre as duas doenças gera receio e muitas dúvidas a respeito da proteção dos pacientes. O que poucos sabem é que pessoas que têm essa condição crônica são, na realidade, muito beneficiadas pela vacina.

A asma, sozinha, apresenta índices de internação muito significativos. Segundo o DATASUS, a doença é a quarta maior causa de hospitalizações no Brasil. São aproximadamente 350 mil casos por ano, que ocorrem, principalmente, pela falta de tratamento e controle adequado da condição. De acordo com a Comissão de Asma da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT), apenas 12% dos brasileiros com asma têm a doença controlada. Nos pacientes asmáticos graves não controlados, as crises são três vezes mais frequentes e, normalmente, apresentam risco de vida.

Quando combinado à flu season (temporada da gripe) – isto é, a época de maior incidência das infecções respiratórias causadas pelo vírus influenza – o cenário costuma piorar. Isso acontece porque as infecções virais são um dos principais fatores de risco para novas crises de asma. O vírus influenza age diretamente nas células pulmonares, então o asmático grave, que já tem o sistema respiratório mais fragilizado, tende a sofrer com mais complicações. “O paciente que não tem um bom controle da asma ou não realiza o tratamento adequado pode ter sérias complicações, como a pneumonia viral ou bacteriana e a insuficiência respiratória aguda, e necessitar de internação e cuidados intensivos”, explica Elie Fiss, médico pneumologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz e professor titular da disciplina de Pneumologia da Faculdade de Medicina do ABC (FMABC).

A vacinação contra a gripe é a melhor maneira de se proteger contra as infecções causadas pelo vírus influenza e evitar essas situações que envolvem crises graves e hospitalizações. “Com exceção de pessoas alérgicas aos componentes da vacina, todos devem receber o imunizante. Caso o paciente esteja apresentando febre ou algum sintoma característico da crise asmática, é recomendado que consulte o médico antes de ser imunizado. Mas em um estado saudável, ele deve procurar algum órgão do sistema de saúde e receber a dose anualmente”, explica Fiss. Por serem pacientes de risco, os asmáticos fazem parte do grupo prioritário nas campanhas nacionais de prevenção, incluindo a da gripe.

“Precisamos incentivar cada vez mais a vacinação de pacientes com asma e outras doenças crônicas. A vacina contra influenza é segura, apresenta alta taxa de proteção, diminui consideravelmente o número de infecções e, consequentemente, reduz a quantidade de crises dos asmáticos”, finaliza o pneumologista.

 

 

Conteúdo com a participação do Dr. Elie Fiss (CRM: 35958-SP – RQE: 45156)

 

Assine a nossa NewsLetter para receber conteúdos e a RD do Jornal do Médico https://bit.ly/3araYaa

Share this post


Send this to a friend